Grandes ídolos do SPFC, por Carlos Port: o trio Ruy, Bauer e Noronha

imagem1188

Olá nação tricolor!

Impossível falar da magnitude de Bauer, sem mencionar Rui. Da mesma forma, não dá pra explanar a totalidade do futebol de ambos, sem Noronha. A linha que marcou época no SPFC, nos anos 40.

Alfredo Eduardo Ribeiro Mena Barreto de Freitas Noronha, nascido em 25 de setembro de 1918. Falecido em 27/07/2003.

imagem1033

Ruy Campos, nascido em 02 de agosto de 1922. Falecido em 02/01/2002.

imagem816

José Carlos Bauer, nascido em 21 de novembro de 1925. Falecido em 04/02/2007.

imagem536

Noronha, o mais velho dos 3, foi penta-campeão, nos anos de 1943, 45, 46, 48 e 1949. Jogou 298 jogos com o SPFC. Esteve também na Copa de 50, na reserva de Bigode.

Ruy foi tetra, em 1945, 46, 48 e 1949. 273 partidas pelo Tricolor. Outro convocado da seleção vice-campeã em 1950.

Bauer também foi penta, em 1945, 46, 48, 49 e 1953. Prata da casa tricolor, foi o único paulista titular na Copa de 50, com a alcunha de “Monstro do Maracanã”. 400 jogos no SPFC.

Noronha jogava pelo lado esquerdo da defesa, mas também foi centro-médio e tinha dom nato para gols de cabeça, Ruy era zagueiro clássico, Bauer, volante forte, de matada de bola perfeita e passes certeiros. O trio imortal do São Paulo.

Muitos títulos, muitas glórias. Futebol espetáculo, sem perder a força do combate defensivo. 3 em 1.

Noronha, Ruy e Bauer, excelentes. Unidos, quase invencíveis!

Saudações Tricolores!

Crédito-Imagens: arquivo público do Estado de São Paulo, Revista do Esporte, Gazeta Esportiva, Arquibancada Tricolor, Tardes de Pacaembu