Se eu fosse o presidente Leco

escudo

Salve nação tricolor!

Esta coluna será papo reto, sem mais protestos indignados (já fizemos todos possíveis).

Apenas propondo ações, bora?

Se eu fosse presidente Leco, do São Paulo FC:

1) Demitiria Vinicius Pinotti. São-paulino fanático, sem dúvida alguma. Porém, isso todos nós somos. É preciso conhecimento, experiência e reconhecimento do mundo boleiro (não necessariamente sendo um) pra assumir uma diretoria de futebol de um clube tricampeão mundial.

2) Demitiria departamento de desempenho. Veio de rival, indicou muito mais jogadores que não são à altura do São Paulo FC do que bons nomes, teve inobservância ou omissão com questão de lesionados e scouts deploráveis. Não é possível o número de medíocres que o SPFC contratou, desde que chegaram. Nos treinos, o time não evolui em fundamentos e individualmente são estagnados, atribuições que eles teriam que auferir também.

3) Demitiria diretores que não são de notório conhecimento de área, como rege o novo estatuto. O São Paulo continua com cargos vitais, que poderiam ser geradores de muita receita, ocupados politicamente e não por meritocracia reconhecida no mercado. Pior, deveria ser obrigação do presidente cumprir o que manda a nova carta magna tricolor.

4) Negociaria jogadores que não deveriam nem ter sido contratados, fazem a folha de pagamentos ser elevada, são dispersos, descomprometidos, incapazes, tecnicamente sofríveis, não conhecem a história do São Paulo Futebol Clube e só provam a incapacidade histórica do presidente em gerir o futebol da instituição.

5) Pediria desculpas públicas pelo estrago feita na imagem de Rogério Ceni, um dos maiores monstros sagrados da história do Tricolor Paulista. Contratado antes das eleições, foi plataforma e nas suas mãos, viu o São Paulo perder as joias da base, contratar jogadores meia-boca como reposição, ter diretor amador do lado, não poder prosseguir com sua comissão de curso UEFA, que se cansaram do amadorismo.

6) Faria ingressos populares em todos os jogos, até o final de 2017. Sim, já estão baratos para STs, mas a questão exige acesso a todos. Bilheterias de volta à arquibancada. O Morumbi é pago. Diferente das arenas rivais. Podemos colocar o valor que quisermos.

7) Não dá mais tempo de contratar ninguém de peso, infelizmente. Portanto, não é possível sugestionar. Mas que seja lição para as próximas temporadas. Grande jogador se paga, gera renda, ganho técnico, personalidade e mkt (quando tratado profissionalmente).

8) Faria uma coalização política de forças antagônicas dentro do clube, até em cargos importantes. Só soma de esforços salvará o SPFC da segunda divisão.

9) Pedirão perdão por ter sido o pior presidente da história do SPFC.

10) Por fim, renunciaria.

Saudações Tricolores.