Tricolor em 10 pontos – Balanço 2016

13e0ccb66e65bb898fd5

 

1) Diretoria de futebol: péssima com Ataide/Gustavo, ótima com Luis Cunha, voltou a péssima com Gustavo, regular com MAC. O ano teve um único salvador: a torcida!

2) Diretoria mkt: conseguiu patrocínios pra camisa, tirou imagem ruim da era Aidar. Mas precisa ser profissional totalmente, muita política.

3) Oposição: desunida e sem um nome forte ainda, pra enfrentar a perpetuação do poder dos herdeiros de JJ.

4) Comissão técnica e preparação física: sofrível o ano todo, salvo raras exceções. Reffis foi estaleiro, time cansado no segundo tempo.

5) Goleiros: Denis, o goleiro das defesas difíceis e das bolas fáceis no gol. Os demais, sem oportunidades. Teimosia que custou caro.

6) Zagueiros: melhor setor, desde que completo. Rodrigo Caio evoluiu muito, Maicon valioso (mas custou mais do que devia). Lugano, o cara.

7) Laterais: Gringos foram melhores que brazucas. Buffarini parece o melhor de todos. Mena médio. Carlinhos, o eterno lesionado. Bruno 8 ou 80.

8) Volantes: faltou quem mandasse. Thiago Mendes quase foi no embalo do Migué, Hudson limitado esforçado, Schmidt habilidoso, Wesley tchau.

9) Meias: primeiro semestre bonito de Ganso, que saiu sem brilho. Segundo semestre muito bom de Cueva. Ideal seria se ficassem juntos. Luis Cunha tentou o maestro, mas não teve tempo pra conseguir.

10) Atacantes: Calleri representou. Chavez se esforça. Neres e Araújo, promessas reais. Kelvin fraco, Centurión só lá. Gilberto, cedo.

Ponto extra da temporada: Primeiro a faxina no elenco, depois contratações pontuais. Observem que vários jogadores sequer foram citados, porque não jogaram ou não representaram o manto. É preciso limpar o péssimo legado da era GVO.

Quanto aos técnicos, Bauza não conseguiu impor conceito e padrão, Ricardo Gomes quase afundou o time, a teimosia da diretoria em mudar também.

Força Ceni!

Saudações Tricolores.

No Twitter: @carlosport