Grandes ídolos do SPFC, por Carlos Port: Dino Sani

imagem919

Olá nação tricolor!

Dino Sani nasceu em 23/05/1932. Em 2015, segue firme com 82 anos.

Sua carreira no São Paulo seguiu os passos iniciais de outro legendário atleta tricolor, Gino Orlando. Dino e Gino caminharam juntos do Palmeiras ao melhor XV de Jaú de todos os tempos, campeão da então forte segunda divisão paulista, em 1951. De volta dos seus empréstimos, o caminho de Sani foi o Comercial de Ribeirão, até que despertou o interesse do São Paulo.

revista0001_crop_galeria

Em 1955, o ainda meia chegaria ao Tricolor, para descobrir, tempo depois, sua vocação de médio-volante. Inicialmente protestou, mas se adaptou e então, sobrou em técnica na posição.

imagem167

Comandando a saída de jogo pelo meio, Dino foi fundamental na conquista do histórico título paulista de 1957, impondo 3 a 1 no Corinthians no jogo decisivo, sob o comando do seu maior incentivador na posição, o húngaro da geração de Puskas, Béla Guttmann, que havia sido contratado para treinar o São Paulo. O meio teria Zizinho em sua ponta de lança. E Gino Orlando, seu amigo de começo de carreira, estava no comando de ataque tricolor.

imagem828

Dino Sani foi convocado para a Copa de 1958, na seleção campeã que encantou o futebol da época. Atuou na vitória contra a Áustria por 3 a 0 e no empate sem gols com os ingleses, até que lesionou antes de enfrentar os soviéticos. Assistiu na torcida o final do primeiro caneco do escrete canarinho.

Ao todo, foram 325 jogos e 113 gols.

O craque volante permaneceu no São Paulo até 1961, de onde partiu ao Boca e dos xeneizes foi ao Milan, onde recebeu a alcunha de “bisturi”, tamanha sua precisão cirúrgica para jogar futebol.

Saudações Tricolores!

Crédito-Imagens: arquivo histórico do SPFC, blog Tardes de Pacaembu

Siga-me no Twitter: @carlosport