Grandes ídolos do SPFC, por Carlos Port: Serrão

imagem75

Olá nação tricolor!

José Carlos Serrão, o Serrão, nasceu em 12 de outubro de 1950 e foi um grande meia-atacante do São Paulo, nos anos 70.

Uma trajetória de talento no Tricolor iniciada em 1969, passando pelos elencos que conquistaram títulos são-paulinos pós-década da inauguração definitiva do Morumbi.

No seu currículo constam quase 300 (261) jogos pelo Tricolor, marcando 28 gols.

Poy lançou Serrão na meia-direita nos juvenis do SPFC, mas sua polivalência por todos os lados do campo o conduziu para o lado esquerdo, na criação e chegada ofensiva.

Inicialmente, foi emprestado para o futebol interiorano, ao XV de Piracicaba, com intuito de ganhar experiência, no então forte Paulistão. O elenco do São Paulo bicampeão de 70 e 71 era muito forte. Seria uma boa para o jovem promissor disputar certame estadual por equipe menor. Mas logo, seu vistoso futebol o trouxe de volta ao Morumbi.

imagem107imagem912

Serrão sofreu com lesões no joelho, seu menisco impediu a chance de disputar a Copa do Mundo de 1974 já que, a partir do ano anterior, passara a figurar nas convocações da seleção brasileira.

1974libertadores

O momento derradeiro do Zé Carlos ocorreu na Libertadores de 1974. Com excelentes participações, jogando com Pedro Rocha e outros craques, Serrão ajudou o São Paulo a chegar na final, contra o super-campeão Independiente (até hoje, o clube argentino detém o maior número de títulos da Libertadores, 7). Foram 3 finais. Vitória do São Paulo no Pacaembu com 51.000 torcedores, por 2 a 1, derrota em Avellaneda por 2 a 0 e a partida desempate ocorreu em Santiago, no Chile. Os portenhos abriram o placar na primeira etapa, gol de penalidade. No segundo tempo, outro pênalti, dessa vez para o Tricolor. Pedro Rocha não pôde bater em razão de infiltrações que sofrera para jogar, a incumbência coube a Serrão. O goleiro defendeu e o São Paulo acabou vice-campeão.

imagem411

O reerguimento ocorreu em 1975, com o título paulista. Mas o joelho seguia seu maior adversário nos campos. Com isso, Serrão não resistiu o alto ritmo de competitividade do Tricolor que teria Minelli no comando e deixou o São Paulo, rumo ao futebol paraibano.

imagem1581975

Nos anos 80, voltou ao Morumbi para treinar categorias de base, pela sua trajetória de superação em todos anos de Tricolor. É técnico atualmente.

Saudações Tricolores!

Crédito-Imagens: Revista Placar, blog Tardes de Pacaembu

Siga-me no Twitter: @carlosport