Relação Leco/Ataíde: Conselho e torcida, feitos de palhaços

202158-970x600-1

“Salve o Tricolor Paulista”.

O São Paulo sofria há anos com gestões desastrosas, desde o terceiro mandato de Juvenal Juvêncio.

Carlos Miguel Aidar foi um rompimento mas, após breve reerguimento, se mostrou igualmente catástrofe, até o seu ocaso. Com requintes de escândalo. Tudo muito lamentável para a história do Tricolor.

Poderia enumerar as inúmeras situações de constrangimento e vergonha que os “discípulos” atuais de JJ no poder, colecionam ao longo dos anos, dentro e fora dos gramados.

Porém, o objetivo é analisar a deplorável decisão do presidente Leco, em manter Ataíde Gil Guerreiro diretor de relações institucionais, após a sua expulsão do Conselho Deliberativo.

Focando:

Aidar é passado, para o bem do São Paulo FC. Jogou uma história, de títulos e times lendários, no lixo. Acusado de conduta improba em relatório embasado, foi submetido a voto e expulso. 142 votos a favor e 36 votos contra.

Ataíde também deveria ser passado, com 120 votos a favor da sua expulsão e 56 votos contra. Um pouco mais que o dobro dos conselheiros do SPFC votou pela exclusão do ex-VP de futebol do quadro deliberativo, que por insucessos e escândalos, debaixo do seu nariz, foi direcionado dias antes, para a diretoria de relações institucionais, após pressão imensa dos torcedores.

Eis o ponto:

O que faz uma diretoria de relações institucionais (ironicamente, criada por CMA)?

Representa a instituição São Paulo Futebol Clube, com demais instituições do mundo do futebol, corporativo, social etc.

Sendo assim, como pode, em sã consciência, em sanidade mental plena, um presidente reconduzir um conselheiro expulso, para ser o responsável da pasta?

Imagine a situação prática, torcedor: uma reunião envolvendo o SPFC e uma entidade qualquer:

- Olá, eu represento a instituição São Paulo.

- Muito prazer, aceite meu cartão, mas quem é você?

- Ataide, um conselheiro expulso.

A busca da credibilidade do São Paulo ainda apanha no futebol brasileiro. Evoluiu, mas não pode estagnar. O clube ainda sofre fogo amigo de decisões administrativas, para quem o quer na lona. A mídia anti comemora.

O Morumbi tem a sua Casa Civil…

Até quando?

 

Carlos Port

Opinião Tricolor

Siga-me no Twitter: @carlosport

 

Opinião Tricolor: Dragões da Real

CgCr2O4W4AAK-bk

O programa da nação tricolor recebeu André Azevedo, presidente da Dragões da Real e da Associação Nacional das Torcidas Organizadas.

Aurélio Mendes, idealizador do projeto Isto É SPFC, fez sua estreia como integrante da bancada do programa.

Confira!

Saudações Tricolores!

Sigam no Twitter: @carlosport @amon78

Os mais importantes: Gilberto Sorriso

imagem794

Gilberto Ferreira da Silva, ou no mundo boleiro, Gilberto Sorriso. Jogador de futebol, educador físico e administrador esportivo.

Nascido em 18/09/1951, dos pais Sr. Guilherme e dona Pedra, teve uma vida dedicada ao São Paulo e também ao Santos.

No Tricolor, foi do infantil ao profissional, entre os anos de 1968 a 1977, em uma década de dedicação, bom futebol e títulos.

1970 1971

1975 turno

Viu a conclusão definitiva do Morumbi, defendendo as cores do São Paulo. Campeão paulista em 1970, repetiu o feito em 1971, na então nova e para sempre eterna, casa tricolor. Foi vice campeão brasileiro duas vezes (1971 e 1973) e da Libertadores (1974), até erguer nova taça estadual, no ano de 1975.

Quase pegou o primeiro título nacional do São Paulo, mas se transferiu antes ao Santos, em 1977, clube que defendeu também por mais de 10 anos, sendo campeão paulista em 1978 e 1984.

Neste último, um reencontro com duas outras pratas tricolores, Serginho e Zé Sérgio.

Foi o décimo terceiro jogador da história do São Paulo, com maior número de partidas, 434.

Deixou além do talento, a simpatia como marca, tanto que voltou ao clube após encerrar a carreira, para trabalhar nas categorias de base.

O importante na vida é sorrir.

Saudações Tricolores!

Crédito-imagens: Revista Placar, Tardes de Pacaembu

Siga-me no Twitter: @carlosport

Opinião Tricolor: Luiz Alberto Rosan

IMG-20160331-WA0002

Opinião Tricolor recebeu Luiz Alberto Rosan, grandioso profissional da fisioterapia, idealizador do Reffis do SPFC, onde viveu momentos de glória, ajudando o Tricolor a ser extremamente vencedor e referência mundial em tratamento de atletas.

Siga-nos no Twitter: @carlosport, @aninhasauma, @Guna004

Saudações Tricolores!