Carta aberta de março, atualizada em junho: Carlos Miguel Aidar

sp (2)

Sr. Presidente,

Quando fazemos uma carta aberta é em razão de um sentimento pessoal, que desejamos que se torne coletivo.

Esta publicação foi originalmente postada em março e atualizada em junho. Alguns apontamentos sugeridos à época ocorreram, como a gratuidade do ingresso infantil até os 7 anos e a contratação do técnico estrangeiro (vide abaixo).

Porém, sei de alguns problemas que ainda rondam o São Paulo e da luta titânica que existe para resolvê-los. A guerra política perpetuada pela turma que não larga o osso do poder. A dívida monstruosa como herança. A crise econômica do Brasil.

Aidar, você é homem experiente, que assumiu o SPFC muito novo, em 1984, antes dos 40 anos. Agora, mais vivido, sabe que o Tricolor mudou muito. A torcida, que já era grande, se tornou nação. Os títulos, saíram da esfera nacional, para 12 internacionais.

Sabemos que todos os problemas herdados ainda deixam o SPFC diante de um longo caminho da retomada do sucesso e grandeza que sempre lhe pertenceu. Mas as responsabilidades agora são suas. Sabemos disso e estamos aqui pra sempre ajudar.

Modestamente sugiro, então, algumas medidas que ainda julgo fundamentais para o São Paulo.

  • Profissionalizar o marketing: Não podemos mais ser a última força da capital, em receita de mkt. Porque nosso departamento, tão essencial para a receita do clube, segue amador estatutariamente. É preciso profissionalizar! Ter grandes expoentes do mercado, criar campanhas dignas e do tamanho do Tricolor. Exigir metas, cuidar do brand são-paulino com a excelência que merece. Muito precisa ser feito, no conceito, no estádio, com os ídolos. São milhões de reais que o SPFC perde a cada ano. Mude o estatuto, batalhando no conselho, se for preciso. Só a figura de um gerente remunerado é muito pouco. Precisamos de uma diretoria toda profissional! Por mais que excelentes são-paulinos lutem de forma gratuita para o clube, no departamento.
  • Cuidar melhor do torcedor: Sigo firme fazendo campanha pelo Sócio Torcedor (que sabemos, será reformulado e aperfeiçoado, com mais planos, mais benefícios conjuntos para o clube e torcida), pois sei da necessidade mister do torcedor ajudar o clube, nesse período tenebroso da economia brasileira, destruída por um governo corrupto. Mas deixo aqui alguns apontamentos: o São Paulo pós-era Telê se tornou clube de massa, mas tem um estádio de custo muito mais elevado que os seus rivais. Ainda não existe transporte de massa pela ausência de trem e metrô, os horários são incompatíveis com o sistema de trânsito. Além disso, o Morumbi é muito grande, segue o maior estádio particular do país. É perfeitamente viável ter ingressos com valores mantidos nos setores centrais de arquibancadas (azul e vermelha), onde o Sócio Torcedor frequenta com assiduidade, ou seja, pagando desconto e ao mesmo tempo, ter valores mais baratos nas arquibancadas laranja e amarela. Seria justo pra todos. Mais uma questão fundamental: torcedores das cativas, que colaboram muito com o SPFC em termos financeiros, deveriam pagar o mesmo valor com desconto de Sócio Torcedor. Medida de inteira justiça.
  • Integrar a base (realmente) ao profissional: em 2014, a sua presidência anunciou planos grandiosos quanto à base do clube. Na prática, o que assistimos ainda é muito pouco, não tornando a formação de atletas do SPFC, motivo de planejamento real ao profissional. Principalmente, de planos de títulos antes de negociações.
  • Técnico estrangeiro no SPFC: medida polêmica que sugeri em julho de 2014 aqui no blog e voltei a postar nesta carta, em 12 de março. Implantando treinamento tático-técnico, com o que de mais moderno ocorre no futebol atual. Bem-vindo Osorio!
  • Aliar oposição à situação: senhor presidente, no São Paulo existem grandes cardeais que já conquistaram o mundo. Mas estão em posições políticas opostas. Outros, já foram situação e hoje deturpam o Tricolor. Quanto menor à guerra política, maior a chance do SPFC vencedor. Tenha habilidade na condução dos diferentes e conquiste cada vez mais iguais!
  • Contratar ex-ídolo como superintendente: independente do novo cargo de gerência de futebol, contratar um ex-ídolo mais jovem também seria fundamental.
  • Blindar o clube/time: chega da imprensa anti causando no São Paulo, chega de polêmicas. Quando atingirem o SPFC, presidente, boicote, não permita entrevistas ou participações nesses programas sensacionalistas e de baixo nível!

Poderia aqui colocar mais idéias, sempre no filtro do que recebo da nação tricolor. Mas não quero ser extenso e creio que as colocadas aqui, já são pontos de análise para o momento tricolor. Sempre buscando dias ainda mais gloriosos.

Saudações Tricolores!

Carlos Port

Siga-me no Twitter: @carlosport